Memorial aos Presos e Perseguidos Políticos

Biografias em destaque

Para lá de dezenas de milhares de presos políticos – desconhecendo-se a sua extensão nas antigas colónias – de assassinatos políticos friamente premeditados, mortes em manifestações, durante a tortura e na deportação e do exílio de milhares de portugueses, o Estado Novo recorreu ainda à proibição de exercício da profissão, a demissão ou proibição de acesso à função pública, à censura da imprensa e de obras literárias, condicionando para sempre a vida dos opositores da ditadura.

Quarenta e cinco anos depois do 25 de Abril, muitos desses factos foram esquecidos ou permanecem ignorados pelas jovens gerações. Porque o apagamento da memória abre muitas vezes caminho a novas ditaduras, entendemos fundamental relembrar a História e a luta de quantos se bateram contra o fascismo e o colonialismo.

É em nome desse dever de memória que aqui deixaremos algumas biografias de resistentes, homens e mulheres que passaram pelos cárceres do Império, sofreram a deportação, o exílio, o desemprego, a proibição de exercerem a sua profissão, a impiedosa censura das suas obras. Um trabalho que muito fica a dever à recolha pertinaz de pessoas como Helena Pato e João Esteves, algumas biografias entre muitas outras que podem ser lidas em http://antifascistasdaresistencia.blogspot.com/ ou em http://silenciosememorias.blogspot.com/.

A todas e todos que colaboram na preservação da memória do que foi a resistência à ditadura, o nosso agradecimento.