banner

 

2. Métodos de tortura

Data
1926-1974
Etiquetas

FORMAS E MÉTODOS DE TORTURA USADOS PELA PVDE/PIDE/DGS

Tortura do sono
Períodos mais ou menos prolongados (por vezes, intervalados)
Produção de ruídos incómodos ou mesmo com gravações (de vozes de camaradas e familiares)
Recurso à violência verbal e à violência física para que o preso não adormeça (não descanse)

Tortura da estátua
Períodos mais ou menos prolongados (por vezes, intervalados)
Uso rápido da violência (por ex., “posição de cristo”)

Agressão física direta (geralmente com grupos de agentes)
Bofetadas
Socos
Pontapés
Arranque de unhas
Pancadas nos testículos
Pancadas nas pernas e nos pés

Instrumentos usados
Cassetetes (geralmente com partes metálicas)
Cacetes e madeiros (por ex., com inscrições “Arriba Espanha/Viva Franco”)
Chicotes
Soqueiras
Objetos pontiagudos
Uso de algemas e de cordas para maior sujeição do preso
Uso de luzes fortes

Queimaduras e choques elétricos
Com cigarros
Com aguilhões para gado
Com “capacetes” ligados à eletricidade
“Cadeira elétrica” (por ex., em São Tomé e Príncipe)

Tratamentos humilhantes
Ofensas e insinuações de carácter sexual
Desnudamento de mulheres e toques indesejados
Proibição do uso de instalações sanitárias
Violação da privacidade nos lavabos

Agressões psicológicas
Contra familiares e amigos: chantagens emocionais e ameaças de prisão
Relativas a outros presos: insinuações e simulações de colaboração com a polícia
Relativas a camaradas que não foram presos: comparações com a boa-vida que levam
Em geral, visando salientar que o preso está sozinho e abandonado, ou traído

Diversos
Simulação de afogamento
Isolamentos de longa duração 
Utilização de gravações no decurso de interrogatórios
Exibição de cadáveres para intimidar presos
Sobrelotação de celas
Recusa de alimentação e de recreios
Corte de correspondência e de visitas
Ausência de assistência médica e medicamentosa

anterior ««     seguinte »»