banner

 

António Graciano Adângio

026664
026664

ALJUSTREL

Nas vésoeras do 1.º de maio de 1962, as forças policiais do regime fascista investiram contra algumas localidades em que temiam especialmente que pudessem verificar-se protestos e manifestações. 
Foi, designadamente, o caso de Aljustrel, em que a PIDE e a GNR procederam a cerca de 15 prisões ao princípio da noite de 28 de abril.
Muitos populares dirigiram-se de imediato ao posto da GNR exigindo a libertação dos presos. Uma força da GNR dispersou a multidão, disparando sucessivas rajadas de metralhadora que provocaram duas vítimas mortais: os mineiros António Graciano Adângio, 27 anos, militante do PCP, e Francisco Madeira, de 45 anos. E dezenas de pessoas ficaram feridas.