banner

 

João Lopes Diniz

João Lopes Diniz
013936
Data da primeira prisão

Filho de Francisco Lopes Dinis e de Paulina Maria. nasceu em 1904, em Sintra.
Com a profissão de canteiro, participou nas atividades do Comité de Zona N.º 4 do Partido Comunista Português e, designadamente, nos preparativos da jornada de luta prevista para o dia 29 de Fevereiro de 1932 e que previa o uso de explosivos pelos manifestantes, a qual acabou por não se realizar devido à prisão de alguns dos implicados - nesse âmbito, esteve envolvido com outros camaradas no fabrico de 52 bombas.
Entretanto, participou nas demonstrações de utilização de explosivos organizadas, em preparaçãp do 1.º de maio, na serra de Monsanto, tendo sido preso aí com vários dos seus camaradas, em 24 de abril de 1932.
O seu processo foi enviado para o Tribunal Militar Especial em 24 de Fevereiro de 1933, tendo sido só julgado no ano seguinte, em 20 de Outubro de 1934.
Condenado a dez anos de degredo, com "prisão numa das Colónias à escolha do Govêrno", e na multa de 20.000$00. Face ao recurso interposto, o mesmo TME confirmou a sentença em 3 de novembro.
Deu entrada na Cadeia do Aljube em 4 de dezembro de 1934, sob o motivo "Bombista", sendo transferido , a 19 de dezembro, para a Fortaleza de Peniche e regressando ao Aljube em 20 de Março de 1935, a fim de ser enviado, a 23 de março, para a Fortaleza de S. João Baptista, em Angra do Heroísmo, nos Açores.
Dezoito meses depois, a 29 de Outubro de 1936, João Lopes Dinis integrou a primeira leva de presos políticos enviada para o Campo de Concentração do Tarrafal, em Cabo Verde, e aí faleceu logo em 12 de Dezembro de 1936, com 32 anos de idade.