banner

 

Joaquim Luís Teixeira de Magalhães

015145
015145
Data da primeira prisão

Natural de Miragaia, Porto, nasceu em 30-11-1920, filho de Joaquim Marinho Cardoso de Magalhães e de Ana Teixeira Alves.
Tendo exercido as profissões de canalizador, marítimo e serralheiro, foi preso em 10-01-1940 por "emigração clandestina", indo de imediato para a Cadeia do Aljube e sendo restituído à liberdade em 30-01-1940.
Em 15-08-1940, é entregue à PVDE pela Comando da Guarda Fiscal do "Posto da Alfândega" por nova alegada tentativa de emigração clandestina, sendo remetido para a 1.ª Esquadra. Em 11 de dezembro, é entregue aos Tribunais Criminais de Lisboa (Tribunais Plenários).
Embora o Registo Geral de Presos da PVDE seja omisso quanto à data da sua libertação (?), refere que, a 06-04-1941, foi de novo presos pela PVDE, "por embarque clandestino", seguindo de novo para a 1.ª Esquadra e de imediato para a Cadeia do Aljube, de onde será libertado em 19-04-1941.
A 10 de outubro do mesmo ano, "foi posto à disposição" da PVDE pela PSP da Horta (Açores), em cujos calabouços permanece oito dias.
Desconhece-se o percurso seguinte mas, em 24 de junho de 1942, a PSP de Ponta Delgada entrega o detido à PVDE, que o remete, mais uma vez, para a 1.ª Esquadra, seguindo depois para a Cadeia do Aljube e para o Depósito de Presos de Caxias, sendo mais uma vez entregue ao Tribunal Plenário de Lisboa.
Seguem-se mais 3 prisões (14-10-1942, 17-04-1943 e 14-02-1945, desta feita a entrega à PVDE ocorreu pelo Comandante do Vapor Lourenço Marques, "por viajar clandestinamente"), baixando à enfermaria da Cadeia do Aljube logo no dia seguinte à última prisão - presumindo-se evidentemente o tratamento inflingido pela polícia política.
Dois dias depois, segue para o Hospital de S. José e faleceu no Hospital Curry Cabral no dia 20 de fevereiro de 1945, com a idade de 25 anos.