banner

 

Albino Coelho Júnior

001208
Data da primeira prisão

Natural de Lisboa, nasceu em 10-07-1897, filho de Albino Coelho e de Maria Madalena da Conceição.
Motorista, foi detido pela primeira vez a 9 de dezembro de 1936 nos calabouços da esquadra da Polícia de Segurança Pública de Lisboa, onde esteve incomunicável. Transferido para a Prisão do Aljube em 15 de janeiro de 1937, dois meses depois foi colocado na Prisão de Peniche, onde ficou alguns dias até ser libertado por ter sido despronunciado pelo Tribunal Militar Especial. De acordo com o processo que lhe foi instaurado no Tribunal Militar Especial de Lisboa, terá sido aliciado, por indicação de Francisco Horta Catarino, para participar enquanto motorista em “trabalhos de natureza revolucionária” que, no entanto, acabaram por não se concretizar, tendo, por isso, sido libertado. Não obstante, pouco depois, a 10 de abril, voltou a ser preso, no Aljube, onde permaneceu até dia 23 do mesmo mês. Não tardou muito até sofrer uma terceira detenção, para averiguações, a 21 de julho de 1937, recolhendo, novamente, ao Aljube onde ficou em regime de incomunicabilidade, no “segredo”, até que, em 6 de novembro de 1937, embarcou para o Campo de Concentração do Tarrafal, na Ilha de Santiago, em Cabo Verde. Aqui viria a encontrar a morte a 11 de agosto de 1940, com a idade de 43 anos.